A exumação do corpo é o nome dado ao processo de retirada dos restos mortais de alguém do tumulto onde foi sepultado. Normalmente acontece após três anos do enterro feito, na maioria das vezes, sob autorização da família, podendo ser transferido para uma gaveta no próprio cemitério que guarda os ossos ou ser incinerado até virar cinzas.

Esse processo se faz necessário para não haver lotação nos cemitérios e possibilitar o enterro de outras pessoas, transferência de cemitério quando a família se muda, imposição da justiça em casos de investigação ou confirmar paternidade pós-morte, por exemplo.

COMO FUNCIONA?

Nos casos em que os cemitérios fazem esse processo por falta de espaço, a administração faz todos os tramites legais necessários e o contato com a família para a ciência do processo. Porém, a presença da família no dia da exumação não se faz necessária.

A exumação se inicia após 3 anos de falecimento e é feito pela equipe do cemitério. Eles tiram fotos da sepultura a ser aberta e das demais ao redor para comprovação da exumação do corpo certo. Após isso, a urna é retirada e os restos mortais e pertences são realocados para uma caixa especifica.

PARA ONDE VÃO OS OSSOS?

Os restos mortais podem ter dois destinos: ser transferido para uma gaveta perpétua ou cremado com os demais ossos.

Em casos de família que optarem por gaveta perpetua, os ossos do ente querido são transferidos para gavetas especificas que acomodam os restos mortais em pequenos blocos, possibilitando que os familiares continuem a visitar o local. Veja imagem abaixo:

A segunda opção, caso não queiram gaveta perpétua, os restos mortais são cremados juntamente com outros ossos que também não foram para a gaveta. Em cemitérios particulares, alguns deles oferecem a opção de os familiares levaram as cinzas para casa e darem o fim que preferirem.  Em casos de jazigos perpétuos, a família pode deixar a urna em um local específico no jazigo.

Clique aqui e saiba mais!