Desde muitos anos é costume que os velórios tenham flores no local e sob o falecido. Não se sabe ao certo quando começou essa tradição, mas as flores naturais sempre foram usadas em cerimonias fúnebres.

Antigamente, além das flores, pessoas que estavam distantes enviavam cartões de condolências às famílias. Com o passar do tempo, uniram a mensagem e as flores em que conhecemos hoje como coroa de flores.

A coroa de flores em si traz o significado do círculo da vida eterna. E até hoje é uma forma de homenagear quem acabou de partir, assim como prestar apoio aos familiares.

Cada flor posta no circulo da coroa tem um significado próprio. Essas flores são escolhidas de acordo com o significado que as pessoas desejam enviar. Veja alguns deles:

– Crisântemo: é de origem asiática e o seu nome significa “flor de ouro”. Ele simboliza a vida completa, perfeição, felicidade, sinceridade e simplicidade;

– Antúrio: originado da Colômbia, o antúrio é mais utilizado nos velórios de homens, por estar associado à masculinidade. Pode estar atrelado também à autoridade, à iluminação, à fortuna, ao luxo, ao desapego e à confiança;

– Rosas: originárias da Ásia, possuem diferente carga simbólica dependendo da cor. As brancas representam paz, inocência, pureza, harmonia, espiritualidade e amor eterno. Já as vermelhas estão associadas a paixão, carinho, respeito, amor e coragem;

– Copo de leite: de origem africana, está associado aos significados de pureza, paz, calma e ligação com o sagrado. O miolo amarelo é ligado à iluminação espiritual e à prosperidade;

– Lírio: o significado dessa flor varia de acordo com a cultura. Para os japoneses, ele simboliza a inocência, discrição, nobreza e amor eterno;

– Margarida: vinda da Ásia e da Europa, simboliza juventude, inocência, pureza, afeto e paz. É considerada a flor das crianças, sendo muito usada nos velórios infantis;

– Lisianto: vem das regiões desérticas do Colorado, do Arizona, do Texas e do México. Seu nome vem da união das palavras lise e anthus, significando flor de análise e destruição. Essa flor é muito associada à sensibilidade feminina, sendo usada em velórios de mulheres;

– Gérbera: vem da África do Sul e está associada à beleza, à nobreza, à sensibilidade e ao amor. A variedade amarela é muito usada nos cerimoniais fúnebres de crianças;

– Kalanchoe: essa pequena e bela flor simboliza a felicidade, sendo muito utilizada em rituais fúnebres.

COMO REALIZAR A DESPEDIDA DE UM ENTE QUERIDO?

– Reúna as pessoas que o ente querido amava

O funeral nunca será algo fácil de encarar, mas é preciso estar lá. A presença de familiares e amigos nesse momento é fundamental para que um apoio o outro nesse momento tão triste. Todos podem dar o ultimo adeus juntos para que ninguém se sentir sozinho. O apoio deve continuar nos dias em diante, nós não sabemos como iremos nos sentir com a nova realidade. O amor e união deixa esse momento mais leve de se enfrentar.

– Leve flores

Flores são usadas em momentos felizes e tristes, nunca deixa de ser uma homenagem. Escolha flores bonitas e bem vivas para o velório, o mesmo pode ser feito com coras de flores.

Levar qualquer tipo de flor ao cemitério para homenagens é uma tradição extremamente antiga, vindo lá da Grécia Antiga. Os povos diziam que a coroa de flores significava o ciclo eterno da vida.

– Faça uma oração

Independente de religião, fazer uma oração para enviar luz e boas energias é muito importante para a alma que terá outro caminho a seguir. Cada religião tem suas crenças sobre o pós-morte, mas pedir a Deus pela alma do ente que partiu, é um ato de amor e bondade.

– Organize um discurso

A dor de perder alguém querido muitas vezes nos cala e nos impossibilita de dizer as ultimas palavras. Por isso, seria legal se um membro da família abrisse o discurso durante o velório e convidasse os membros presentes a dizer algo que esteja em seu coração. Mas isso não deve ser obrigatório, apenas quem se sentir confortável de prestar sua homenagem em voz alta.

– Homenagem separada para as crianças

Além da hora de dar a noticia, há outro momento crucial: o velório. Não antecipe a reação da criança. Explique para ela o que é esse ritual de passagem e pergunte se ela deseja ir. Caso a resposta seja não, respeite. Mas é legal fazer um ritual com essa criança, como: escrever uma carta ou soltar um balão, por exemplo. É preciso que as crianças tenham uma despedida do ente querido, mesmo que não seja indo ao funeral. Jamais obrigue a criança a ir ao velório, isso pode ser muito impactante para ela. E caso ela deseja ir, esteja ao lado da criança e seja um apoio para ela nesse momento delicado.

LEIA TAMBÉM: Porque as pessoas tem medo de cemitérios?

Clique aqui e saiba mais!